Baú da Dynamite: Ultraje a Rigor

Confira também esta matéria em áudio!
Nos 25 anos de Ultraje
By Elcio Cabral

No ano em que o Ultraje a Rigor completava 25 anos de carreira e 20 anos de seu mais importante álbum, Nós Vamos Invadir sua Praia, era de se esperar muitas comemorações. Então eis que surge, pela Deckdisc o Acústico MTV. Mas o vocalista Roger jura de pé juntos que essa não foi a razão para lançar o CD e afirma que a banda não estava esperando pela data para fazer isso. O projeto, segundo ele, simplesmente apareceu e foi uma coincidência. Seja como for, os fãs agradecem.

            O Ultraje começou no final de 1980 como uma banda de covers – principalmente de Beatles, de rock 60, de punk e de new wave. Depois de algumas formações, Roger, Leôspa, Sílvio e Edgard começaram a se apresentar em festas e barzinhos. Em 1982, ainda sem nome, decidiram por Ultraje a Rigor – que foi escolhido por acaso. Roger e Leôspa estavam tentando achar um nome durante uma festa e Roger sugeriu Ultraje e então perguntou a Edgard, que chegou no meio da conversa, o que ele achava de Ultraje. Edgard, sem entender direito a pergunta, disse: “que traje? O traje a rigor?” Roger e Leôspa adoraram e adotaram então este nome.

Gravaram o primeiro compacto, Inútil/Mim quer Tocar em 1983. Edgard, já na época foi para o Ira! e Carlinhos entrou na banda. Em 1984 saiu Eu me amo/ Rebelde sem Causa. A primeira foi bem nas rádios, impulsionado um pouco pela polêmica coincidência de refrões com a música “Egotrip”, da Blitz. Mas o lado B do compacto começou a tocar no começo de 85 e detonou a explosão do Ultraje. Então vinha o famoso Nós Vamos Invadir sua Praia, o primeiro LP, puxado pelo hit “Ciúme”. Foi o primeiro LP de rock nacional a conseguir discos de ouro e platina. Das 11 músicas do disco, nove foram amplamente executadas e o Ultraje quebrou recordes de público em diversas casas de shows no Brasil inteiro. Liberdade para Marylou (EP de 1986) e Sexo (1987) continuaram a bem sucedida carreira. Carlinhos decidiu mudar-se para Los Angeles e deu lugar a Sérgio Serra na guitarra. Então chegaram os anos 90 e, apesar de o Ultraje nunca ter parado, o espaço na mídia diminuir. Após mais algumas mudanças de formação, em 2002 a banda se estabilizou com o sempre presente Roger (vocalista), o bom filho à casa torna Sergio Serra (guitarra), Mingau (baixo) e Bacalhau (bateria, ex-Rumbora).

45250cookie-checkBaú da Dynamite: Ultraje a Rigor
Adicionar aos favoritos o Link permanente.
0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments