Rock e Tatuagem

Confira também esta matéria em áudio!

Segundo estudos, a tatuagem nasceu antes de cristo, os egípcios já pigmentavam os seus corpos, mas, a arte começou a ficar famosa mesmo no século XIX, quando os marinheiros começaram a marcar os seus braços em suas longas viagens, a arte de pintar o corpo começou a ser usada em presidiários, no intuito de marcar para sempre os marginais, na segunda – guerra era muito normal os soldados colocarem nome de esposas e filhos nos braços, depois disso a tatuagem começa a se modernizar e, vira sinônimo de grupos, como surfistas, motociclistas ou qualquer outra facção que queria ser diferente, mesmo assim por causa dos criminosos, ele era mundialmente vista com descriminação.

No Brasil no início dos anos de 1960, no porto de Santos, desembarcou o primeiro profissional da tatuagem moderna, ele veio da Dinamarca, mas foi pousar bem numa zona boemia, cheio de prostitutas e traficantes, ou seja, a tatuagem começou mal vista no país.

Os anos passaram e, arte de pintar a pele só cresceu, nos litorais do Brasil começam a aparecer os primeiros europeus e americanos, além de brasileiros que aprendiam no exterior, a arte de tatuar, mas, apesar do preconceito ainda existir, foi nos anos de 1980, onde ela se popularizou de vez e, quase todos os jovens mostravam interesse em possuir pelo menos uma.

Mas nada se compara com a paixão do roqueiro pela tatuagem, muitos são os grupos, que cultivam essa arte, em festival de rock, o desfile de desenhos no corpo chama atenção muito da imprensa e, em exposição de tatuagem, apesar de não ser 100% o gosto dos frequentadores e dos tatuados, a trilha sonora vai de rock classic a metal extremo.

Para essa entrevista escalei quatro pessoas envolvidas nesse mundo, Giovana Arais, editora da Revista Metalhead Tattoo, os tatuadores paulistas Mauricio Jampa, famoso no bairro da Mooca, Gilvanio Pedrosa que atua na região da Vila Mariana, e o Boreo Erick de Brasília, já que todos são adeptos do rock.

Quando o assunto é, onde o rock e a tatuagem se combinam, Gilvanio diz que é só aparecer em festivais de grande porte, como Rock in Rio e Lollapalooza, e verá a quantidade de tatuados, já Jampa diz que o rock é a tatuagem tem tudo a ver, pois nada se identifica mais com a tatuagem do que o rock, começando pelo espirito de rebeldia.

E qual a tatuagem de banda, que é galera mais tatua? Boreo afirma que as mais procuradas são Biohazard e Sepultura, mas para Mauricio o Metallica, Iron Maiden e Aerosmith são as preferidas para eternizar ao corpo.

Quais músicos tem as tatuagens mais loucas, Gilvanio diz que acha as do Phill Anselmo ex-Pantera como as mais piradas, para Mauricio ninguém é mais criativo que João Gordo do Ratos de Porão. 

E o fato de alguns rockeiros não ter tatuagem, o que os tatuadores pensam? Para Boreo isso é normal, para ele, muito fã de rock, que não tem visual nenhum, manja mais de musica, que muito enfeitado, mas, Mauricio Jampa acha estranho, apesar de respeitar, pois ninguém é obrigado a fazer tatuagem. Boreo completa, se tem tatuador sem tatuagem, por que os roqueiros são obrigados a ter?

Agora na hora da banda do coração, Gilvanio que tem a alma punk, diz: Social Distorcion, para Mauricio que é mais classic rock, Pink Floyd e Metallica são as lembradas.

Quais bandas que eles nunca viram, mas tem vontade?

Tanto Boreo, como Giovana, sonham em assistir AC/DC, a banda Australiana, já teve em nosso país três vezes, em 1985 no Rock in Rio, em 1996 em São Paulo e Curitiba e, em 2009 em São Paulo. Boreo Erick também nunca viu o Metallica.

Como todo mundo, existem bandas ou estilos que não gostamos, Gilvanio não pensa duas vezes, e afirma não gostar de punk californiano (Bad Religion, Pennywise, NO FX) lembrando que ele não citou nome de banda, já Giovana, disse não ter um estilo ou banda que não suporta, apenas fala que existem aquelas que gostamos mais, e outras menos, algumas é uma musica apenas, algumas, queremos ter tudo.

Sobre o preconceito com a tatuagem no Brasil, podemos falar que acabou?

Giovana fala que não, mas tem certeza que diminuiu bastante, mas fala que o preconceito é ridículo, já Boreo fala que isso nunca acabará no Brasil, pois as pessoas são preocupadas em cuidar da vida dos outros, ele mesmo já sentiu isso, descriminado pelo fato de ter muita tatuagem.

Quando perguntamos sobre os melhores tatuadores do Brasil, percebemos que eles preferem não citar, Gilvanio fala que são muitos, não tem como levantar apenas um, já Giovana fala: Eu em 20 anos de publicação com tatuagem, concordo que o Brasil tem ótimos profissionais, que são poucas as pessoas que reclamam.

Para finalizar quais estilos de tatuagens estão em alta? Giovana afirma que a tribal está batida, aquarela está em alta, mas acha que as pessoas não podem se preocupar com isso, pois tem que fazer o que tem vontade, já Boreo fala que isso é absurdo, pois fazer uma tatuagem que todos estão fazendo, ou aparece na TV,  é coisa de pessoa sem personalidade.

46990cookie-checkRock e Tatuagem
Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.
0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments